4 passos para fazer seus sapatos de couro durarem mais

leather

Como nós sabemos que as mulheres nasceram com alma de centopeia e ainda sofrem com complexo de cinderela (melhor garantir logo seu par do que ficar esperando enquanto o príncipe não aparece), resolvemos ajudar a classe com esses quatro passos para fazê-los durarem mais e continuarem lindos. Vem com a gente:

Quando comprar: Antes de tudo, tenha certeza que você precisa de um novo par. Digo isso pelo motivo prático: tenha apenas o que você ama e usará com frequência, evitando aqueles que ficam esquecidos por anos e acabam mofando. E seja exigente, afinal o plano é que você os use por anos (e que eles esteja impecáveis sempre). Costuras, solados, palmilhas, cola, couro, salto, ferragens e outros detalhes – tudo deve ser verificado com olhar clínico até que você decida se o produto vale o investimento. Ah, e comprar aquele modelo fofo, mas que fica um pouquinho apertado, nem pensar! Ele pode ficar torto e vai continuar machucando o seu pé. E antes mesmo de estrear a compra, passe impermeabilizante, pois isso evita a absorção de líquidos pelo couro desde o seu primeiro uso.

Ao usar: Sabe quando vai ter um festão daqueles e você finalmente vai poder usar aquela sandália incrível que você usa pouco por peninha de gastar (quem nunca?)? Pois trate direitinho o parzinho e tire do armário dois ou três dias antes, para acabar com qualquer cheiro ou dar uma limpadinha (e você vai poder ficar namorando aquela lindeza por mais um tempinho). Já com os pisantes de todo dia, o cuidado é em relação à umidade. O pé sua durante o dia, e esse suor vai logo para o couro. Então, quando chegar da rua, deixe-os respirando por um dia e só depois guarde. E evite usar o mesmo par dois dias seguidos, pois além da deformação do material, pode acumular odores.

Guardar: O segredo do sucesso é nesse passo aqui. O ideal é sempre guardá-los com fôrmas próprias (aquelas de madeira que os sapateiros usam) ou preenchendo com jornal amassado, para manter os formatos dos bonitos intactos. Botas de cano alto podem ser preenchidas com revistas enroladas! Quem curte guardar nas caixas, deve fazer furos para que os sapatos possam respirar. Outra opção é usar saquinhos de TNT, pois também permitem que os sapatos respirem, são práticos, laváveis e as traças não comem. Os modelos mais delicados e com verniz ficam bem protegidos dentro de meias antigas – isso evita que eles sejam riscados.

Como limpar: O ideal é limpá-los a cada 3 meses, se não houver algum imprevisto nesse tempo. Evite molhar seus sapatos, mas caso isso ocorra, nunca os coloque sob o sol.Deixe-os secar à sombra, longe de qualquer outra fonte de calor (ou seja, nada de deixar atrás da geladeira, usar secador de cabelo, essas coisas). Colocar jornal na parte de dentro ajuda a absorver a umidade, viu. Delicadeza é a palavra-chave aqui – nada de esfregar com força ou passar esponjas grossas. Para limpar couros normais, umedeça uma flanela macia e passe sobre a superfície para tirar a sujeira. Camurça e nobuck ficam limpinhos usando uma escova seca de cerdas bem macias. As sujeirinhas que acumulam na textura dos sapatos em croco e python saem com flanela macia e seca. Já o couro com verniz precisa da flanela macia e úmida (e cuidado para não riscar!). Quando for polir, utilize o polidor da cor dos sapatos e aplique com uma escova de cerdas macias, tá. Mas se a situação do sapato é difícil de arrumar, mande para um sapateiro ou lavanderia antes que o estrago fique maior.

Fonte: Modices

Anúncios

Básica com bossa

Se falarmos em sapato básico, a probabilidade de você pensar em um salto preto é grande, não é mesmo? Prático, funcional, combina com tudo, vai do trabalho pra festa… Mas não é por ser básico que precisa ser sem graça.

Na hora de montar um look com peças básicas a gente sempre se preocupa em como dar uma incrementada sem exagerar e um bom exemplo de como fazer isso é essa sandália da Natallie Shoes. É preta, é básica, é discreta, mas é cheia de bossa.

sandália natallie shoes

Animal Print é uma escolha certeira na hora de adicionar graça a um look. A snake print, faz essa tarefa com êxito, mas por suas cores neutras, não deixa de ser discreta. Outro toque de destaque dessa sandália é o ponto de cor, gerado pelo solado vermelho que, quando nos pés, deixa uma pequena tira colorida aparente. Um charme!

O salto é alto e fino, mas não a ponto de se tornar desconfortável, pelo contrário, tem a altura ideal para você ficar elegante sem se preocupar com dores nas pernas. E sandália de tira, é uma queridinha de consumidoras e das passarelas, que não passa uma temporada sem ser citada como tendência.

Passe já na Mirella Calçados para garantir a sua sandália Natallie Shoes e conferir as outras novidades e tendências que temos para você.

 

Aprenda o jeito certo de comprar sapatos

Em casa
Confira os cuidados que você precisa tomar antes de ir à loja:

· Abra a sapateira para confirmar o que precisa comprar desta vez. É um sapato para trabalhar? Um modelo para sair? Ou para as duas ocasiões?

· Definida a peça, veja as cores de suas roupas e que tom de calçado combinará com elas. “Para o trabalho, use nude, azul-marinho ou preto, que nunca saem de moda”, orienta Elizangela Gomes, professora de estilo da Escola de Moda Sigbol Fashion.

· Saber o salto desejado também ajudará você a se orientar diante de uma vitrine com tantas opções. Sugestão? Um quadrado, médio e confortável, que ainda permite ir direto do trabalho para um encontro no final do dia.

· Ainda seguindo a linha do conforto, um bico levemente arredondado ou quadrado é ótima compra. “Se preferir o de bico fino, lembre-se de comprar um número maior para não apertar os dedos”, diz a especialista.

· Vista uma roupa básica para ir à loja, como a calça jeans que usa sempre. Se o sapato ficar bom com ela, aumenta a chance de combiná-lo com mais peças.

· Prefira comprar sapatos no final do dia, quando o pé está mais inchado. Assim que acordamos, ele está fino e geralmente suporta uma numeração menor. O risco? Adquirir um sapato apertado, que machucará seu pé e acabará encostado.

· Deixe as unhas dos dedos curtinhas! Se alguma estiver grande, encostará no sapato, fazendo-a pensar que a numeração está menor.

14338

Na loja

A qualidade da peça é o primeiro item para testar. Confira como deve avaliá-lo:

Material
Caso queira que o calçado dure bastante, invista um pouco mais nele, pois a qualidade do material fará toda a diferença. “O couro sintético ou um tecido com tratamento, que deixe a peça impermeabilizada ou facilite a limpeza, é boa escolha”, aponta Elizangela Gomes.

Acabamento
Segure cada pé do par e veja se a costura foi benfeita, se não está torta. Tal cuidado garante que o calçado não se desfaça em pouco tempo. Resistindo, portanto, a ser usado no trabalho e para sair.

Sola
Prefira uma emborrachada a outras feitas de plástico, pois isso atende àquela sempre boa intenção de ter uma peça com grande durabilidade. Para sua segurança, compre calçados de sola com certo relevo ou texturas: elas evitam que você escorregue facilmente. Em relação ao conforto, faça o seguinte: dobre o sapato e avalie a flexibilidade. Quanto mais maleável for a peça, mais conforto poderá proporcionar.
Experimentado os pares

  1. Após conferir a qualidade, chegou o momento de experimentar os pares! Vale a pena selecionar ao menos três modelos para ter certeza absoluta de qual deseja levar. Afinal, você não sabe se o segundo par será ainda mais confortável do que o primeiro…

    2.Você sabia que a maior parte das pessoas tem um pé diferente do outro? Pois é! E pode ser uma pequena diferença no tamanho ou na altura do peito do pé. Por isso, coloque o par completo. Se houver a diferença, baseie-se no conforto do maior para escolher a numeração.

    3. Passeie por toda a loja! Desfile diversas vezes diante do espelho observando seu pé de frente, de lado, de trás… Caminhe sobre o carpete e também passeie sobre piso liso – o corredor do shopping, por exemplo. Ao andar, repita movimentos que faz durante o dia, como simular subida e descida, pisar na ponta dos pés ou ficar parada certo tempo sobre o calçado.

    4. Durante o teste, você não deve sentir incômodo nenhum. Se notar o calcanhar roçando na parte de trás do calçado, peça outra numeração ou modelo. “Lembre-se que a maior parte das peças não alarga conforme o uso”, diz a especialista. “Dessa forma, compre apenas o sapato que não aperta em nenhuma região”, explica Elizângela.

    5. O sapato não deve encostar diretamente na ponta do dedão! Procure uma folga de alguns milímetros para não ficar largo demais, tampouco incômodo.

    6. Tenha paciência! o processo todo dentro da loja (desde a escolha até a compra), deve durar uns 40 minutos. Você não quer deixar seu sapato guardado, certo?

 

Fonte: MdeMulher

Mocassim, um calçado democrático

O que mais se fala hoje em moda é do genderless, a falta de gêneros, onde uma peça pode tranquilamente transitar entre o guarda roupa feminino e o masculino. Exemplo clássico disso é o mocassim.

O calçado que foi criado pelos índios norte-americanos para ser usado em caçadas, se popularizou entre os astros de hollywood na década de 50 e logo virou sucesso entre os homens nas ruas. Depois de alguns anos sendo deixado para os mais velhos, ele voltou entre os mais moderninhos e logo passou a fazer parte do guarda roupa feminino.

mocassim feminino

Hoje é fácil encontrar mocassins dos mais variados materiais, cada um adequado pra um tipo de evento, como os de verniz que são ideais para eventos formais. Os mais democráticos, que conseguem agradar homens e mulheres, nas mais variadas ocasiões são os de camurça. Os lisos, com pegada esportiva, são os mais casuais e perfeitos para o dia a dia.

mocassim masculino

E para garantir o seu Mocassim, você já sabe, vem pra Mirella Calçados.

78c16d4b-f3f4-4aa3-bfa4-0b3be7f0b522

Salto plataforma: tendência para sapatos leva o inverno 2017 às alturas

David Bowie pode ter dito adeus ao plano terrestre em janeiro de 2016, mas sua influência segue firme e forte tanto na moda quanto na música – se é que não está ainda mais viva. Quer seja de forma declarada ou não, fato é que o estilo do britânico tem sido notado nas coleções das últimas temporadas.

Durante o inverno 2017, que começou a ser apresentado em Nova York em 11.02 e continua até 09.03, em Paris, uma das inspirações mais nítidas no glam rock apareceu bem próxima à passarela: o estilo do camaleão pautou os sapatos.

Com plataformas mais ou menos exageradas e acabamentos que vão do veludo molhado ao couro metalizado, as botas, mary janes e sandálias da estação são elevadas às alturas por marcas como Balenciaga, Vivienne Westwood e Maison Margiela.

Veja algumas das propostas e treine o equilíbrio ao som de The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars.

Plataformas

Plataformas

 

Fonte: Vogue Brasil

Aposte: Sapatilhas Gladiadoras

Elas apareceram no desfile do Michael Kors como aposta para a última primavera americana e todo mundo se apaixonou de cara. As “Lace up Flats” (sapatilhas amarradas, em uma tradução livre), foram apontadas pela Glamour americana como o único sapato de que precisaríamos na primavera e a Gucci chegou a criar uma versão masculina.

sapatilhas-gladiadora michael kors, gucci e tibi

Michael Kors, Gucci e Tibi

Aqui no Brasil elas começaram a figurar junto da volta da moda das rasteirinhas gladiadoras e logo foram associadas, ganhando o apelido de “Sapatilhas Gladiadoras”. A peça é super feminina, tem um ar fetichista e fica no limite entre o delicado e o pesado.

Na hora de combinar o céu é o limite, vale vestidos midi, shortinho e camiseta, jeans e jaqueta e o que mais você preferir. E, sabendo escolher as peças certas, a sapatilha vai com você do trabalho para um evento noturno com tranquilidade.

tendencia-sapatilha-de-amarrar-004

Imagens: Lookbook.nu

O modelo mais popular e o primeiro a aparecer foi a versão preta de couro e bico fino, mas a criatividade dos estilistas não se limitou e hoje facilmente conseguimos encontrá-la com variedade de estampas e materiais, sendo perfeita para qualquer estilo.

E é claro que você encontra a Sapatilha Gladiadora do jeitinho que mais combina com você na Mirella Calçados.

FOI DSC_0783

Dossiê do salto alto: Isabella Fiorentino dá os passos para andar bonito e ortopedista indica como evitar problemas

Existem mulheres que nasceram para usar salto alto – todos os dias, em todas as ocasiões e não abrem mão dele. Já outra parte das mortais sofre quando precisa encarar aquele saltão. Para deixar a vida de todas mais fácil e confortável, falamos com a apresentadora Isabella Fiorentino, que faz parte do primeiro time, e com o ortopedista Lucas Leite Ribeiro para um uso saudável e de andar bonito.

High-Heels-walking

DÁ PROBLEMA?
Para quem usa salto todos os dias, o doutor Lucas explica: “saltos causam problemas se usados de forma exagerada ou em mulheres que não praticam atividades físicas e alongamentos. Os piores modelos são os de bico muito fino, que apertam os dedos e alteram a biomecânica dos pés. ”

USO CONSCIENTE

“Se usado de forma ponderada, alternado com sapatos baixos, de até 3 cm de salto, ou solados tipo plataforma e em paciente que praticam atividade física e/ou alongamentos, o salto não causa problemas para as mulheres”, explica o ortopedista.

PARA FICAR BEM E BONITA

“Para não sentir dor, eu não deixo o peso numa perna só quando eu paro. Tento equilibrar e deixar nas duas – ou calcular para ficar o mesmo tempo em uma perna e na outra. Para dar mais conforto também gosto das palmilhas almofadas”, conta Isabella Fiorentino.

PARA ALIVIAR A DOR PÓS SALTO

“Eu gosto de deixar as pernas para cima por uns 10 minutos. Também curto um escalda pés, principalmente nos dias frios. Depois finalizo com hidratante – gosto muito de passar s pomada Bepantol”, conta Isabella. O médico adverte que um analgésico e repouso também ajudam a dor, que merece atenção redobrada quando for muito extrema. “Em alguns casos pode acontecer uma fratura por estresse no osso, já que a carga não é distribuída por todo o pé.”

ANDAR DE MISS
Para não fazer feio de salto, Isabella dá um conselho: “jamais dobre o muito joelho para andar, pois fica feio. Tente colocar um pé na frente do outro e mexer de leve do quadril e os braços, que ficam bem ao lado do corpo em movimentos delicados.”
Cuidado com o jeito que você caminha de salto, para não ficar com uma postura desleixada. “Caso contrário é mais chique usar um All Star do que um salto”, finaliza Isabella, que inclusive já fez um vídeo sobre o tema.

NO AVIÃO

Recado do ortopedista: no avião, nada de saltos. “Na viagem o pé incha e fica desconfortável com o sapato. Com os de salto, o resultado é ainda pior, pois se você tirá-los do pé, pode não conseguir colocá-los novamente.”

Fonte: Chic